Rioja

Rioja

Rioja / ESPANHA

Apresentação

Quem quer experimentar alguns dos vinhos mais ancestrais da Espanha, deve garimpá-los em Rioja, no nordeste do país. Seus tintos sofisticados, envelhecidos por longos e longos anos em madeira, e brancos autênticos e sublimes estão entre os grandes exemplares de todo o mundo 

 

Em termos de tradição e reputação, Rioja é para a Espanha o que Bordeaux é para a França. Aqui estão algumas das mais antigas e famosas bodegas do país e, embora a modernidade tenha chegado à Rioja, muitos produtores ainda seguem a cartilha antiga de elaboração de vinhos, mas com melhoramentos ao longo dos séculos.

 

A região é dividida em três subregiões: Rioja Alavesa, que fica na margem norte do Rio Ebro e conta com solo argilo-calcário (“meio caminho andado” para vinhos de alta qualidade); Rioja Alta, no extremo ocidental da região em altitude elevada, e Rioja Baixa, a leste de Logroño, a capital de Rioja — ambas possuem solos de origem aluvial, composto de argila e alto teor de ferro.

 

O clima tem suas particularidades, com a Sierra de Cantabria protegendo os vinhedos dos ventos frios que sopram do Atlântico. O clima é, em geral, temperado e ensolarado, sendo a zona de Rioja Baixa mais quente e sujeita ao clima mediterrâneo.

 

No capítulo das variedades, embora a Tempranillo seja dominante entre as tintas, ela divide espaço com Garnacha Tinta, Graciano e Mazuelo. Já a Viura (Macabeo) é dominante entre as cepas brancas, mas Malvasia, Garnacha Blanca e Tempranillo Blancotambém podem ser vistas em pequena quantidade.

 

O que até hoje distingue os vinhos de Rioja é o método de elaboração. Em primeiro lugar,esta é uma terra de tintos de corte. Eles são elaborados com várias cepas e de vinhedos localizados nas diferentes subregiões. Adega adentro, o longo envelhecimento em barricas de carvalho é a marca registrada dos tintos de Rioja – pode atingir 48 meses de estágio em carvalho. E alguns grandes tintos chegam ao mercado apenas sete anos depois da colheita, considerando também a maturação na garrafa antes de serem lançados. A utilização de barricas de carvalho é algo levado tão a sério em Rioja que oConselho Regulador dessa denominação de origem calcula que existam, ao todo, 1.266.154 de barricas nas bodegas da região.

 

Já os brancos são produzidos, principalmente, com a Viura, sendo boa parte monovarietal. Rioja também é cobiçada pelos brancos complexos, sedutores e longevos. Exemplares assinados pelos melhores produtores locais podem evoluir por “séculos” na garrafa. São, por isso, vinhos de colecionador.

Produtos da região de rioja