3x*
Compras acima de R$ 300 Parcelamos em até 3x!
*Cartão de crédito
Champagne Taittinger Réserve Brut 375 ml

Champagne Taittinger Réserve Brut 375 ml

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars Loading...

O champagne Taittinger Réserve Brut expressa a luxuosa identidade da maison Taittinger. Suas bolhas são finas e a espuma discreta e persistente. No nariz é um champagne muito expressivo, lembrando pêssego, flores brancas e notas de brioche. Na boca, a primeira sensação é de frescor, surgindo aromas evidentes de mel, além de toques refinados de frutas cítricas e especiarias. Sua vinificação é muito cuidadosa, com três a quatro anos de envelhecimento nas caves da Taittinger.

Pontuação: 91 pontos Wine Spectator
País: França
Região: Champagne
Produtor: Taittinger
Uva: Chardonnay, Pinot Noir e Pinot Meunier
Tipo: Espumante
Teor alcoólico: 12,5%
Volume da garrafa: 375ml
Temperatura de serviço: 8 a 10°C
Champagne
Champagne

Vinificação

As uvas são provenientes de mais de 35 vinhedos diferentes em Champagne. Para garantir maior complexidade, a primeira fermentação acontece em barricas. A segunda fermentação ocorre na garrafa, conforme a cartilha do método champenoise. O champagne Taittinger Réserve Brut ainda estagia de três a quatro anos nas caves para atingir seu potencial aromático máximo.

Harmonização

Frutos do mar, steak tartare, bruschettas, tapas espanholas, quiche de cogumelos e com aperitivos em geral.

Sobre a vinícola

A propriedade ocupada pela maison Taittinger foi adquirida por Pierre-Charles Taittinger em 1932, mas sua história remonta ao século XVIII. O casarão conhecido como Château de La Marquetterie foi erguido em 1734, na Côte des Blancs, em puro estilo Luís XV, e é famoso por ter sido um ponto de encontro de intelectuais da época, entre eles os celebrados escritores Voltaire e Chénier. Permanece nas mãos da família Taittinger e virou sinônimo de champagne de alta qualidade. A vinícola possui quase 300 hectares de vinhedos em vários pontos de Champagne e uma cave com cerca de 3 milhões de garrafas. Na Idade Média, o local funcionava como cripta de um mosteiro beneditino, ou seja, além de ser o endereço de champagnes de topo, guarda também um rico passado.