Vinho tinto De Martino Viejas Tinajas Cinsault 2013

Vinho tinto De Martino Viejas Tinajas Cinsault 2013

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars Loading...

O De Martino Viejas Tinajas Cinsault é um vinho tinto chileno muito distinto e atraente, elaborado com a uva francesa Cinsault cultivada em vinhas velhas e com fermentação em centenárias ânforas de barro. Este vinho tinto é considerado um verdadeiro patrimônio da viticultura chilena. De produção limitada, ele esbanja pureza nos aromas de cereja negra e amora, mostra ainda camadas de especiarias e de toques terrosos. Na boca é muito cativante, com corpo médio, taninos firmes e boa acidez. Tem um final persistente e agradável. O Viejas Tinajas Cinsault é mais uma maravilhosa criação da vinícola De Martino, umas das mais tradicionais e inovadoras do Chile.

País: Chile
Região: Vale do Itata
Produtor: De Martino
Uva: Cinsault
Tipo: Tinto
Teor alcoólico: 13%
Volume da garrafa: 750ml
Temperatura de serviço: 16 a 18ºC


Vale do Itata
Vale do Itata

Vinificação

As uvas Cinsault são provenientes de vinhas velhas, plantadas em 1982 em pé franco, no Vale de Itata, sul do Chile. A colheita é manual e as uvas são submetidas à fermentação carbônica por 15 dias em ânforas centenárias. Após a fermentação malolática, o vinho é engarrafado sem filtragem. Ou seja, é o mais puro possível.

Harmonização

Vitelo assado com ervas e especiarias, atum grelhado na brasa, rosbife e queijos delicados.

Sobre a vinícola

Fundada, em 1934, no Vale do Maipo, pelo imigrante italiano Pietro De Martino, a vinícola De Martino vem se dedicando, ao longo de décadas, a elaborar vinhos nas mais diversas regiões vitivinícolas do Chile, de norte a sul, leste a oeste. Seu portfólio é formado por vinhos tintos, brancos e rosés das denominações Maipo, Casablanca, Limarí, Cachapoal, Maule, Elqui e Choapa, além de exibir projetos especiais no Vale de Itata. A linha mestra da enologia da De Martino é respeitar a característica individual de cada terroir. Para isso, conta com 347 vinhedos, que são cultivados segundo os princípios da agricultura orgânica, sem o uso de substâncias químicas e sintéticas. A vinificação também é a mais natural possível, sempre com leveduras indígenas. Já o envelhecimento dos vinhos é realizado em cubas de aço inoxidável, de concreto ou em barricas usadas. Atualmente, a empresa é gerida pela quarta geração da família e conta com grandes nomes da enologia chilena: Marcelo Retamal e Eduardo Jordán, que lideram projetos arrojados.