Vinho Tinto M. Chapoutier Côtes Du Roussillon Village Bila Haut 2016

Vinho Tinto M. Chapoutier Côtes Du Roussillon Village Bila Haut 2016

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars Loading...

O Côtes Du Roussillon Village Bila Haut é um saboroso corte de Grenache, Syrah e Carignan, este vinho do Sul da França é produzido pelas mãos perfeccionistas de Chapoutier, um dos maiores nomes do Rhône. O bouquet oferece frutas maduras e especiarias e um toque que nos faz lembrar o mar. De grande apelo é, segundo Parker, um vinho que “implora para ser bebido”.

País: França França
Produtor: M. Chapoutier
Tipo: Tinto
Teor alcoolico: 14,5%
Tamanho da garrafa: 750ml
Temperatura de serviço: 16 a 18ºC


Em até 3x de R$54,67 s/ juros

Languedoc Roussillon
Languedoc Roussillon

Vinificação

Tradicional, com controle de temperartura. Fermentação malolática completa.

Harmonização

Pato, cordeiro, carnes vermelhas, carnes brancas, massas e risotos.

Sobre a vinícola

M. Chapoutier é um dos maiores nome do Vale do Rhône. A história da família Chapoutier remonta ao início do século XIX, quando o bisavô do atual proprietário, Michel Chapoutier Marius, comprou a propriedade e algumas vinhas na famosa aldeia de Tain l’Hermitage, no norte do Vale do Rhône. Marius Chapotier fez história na região, quando se tornou o primeiro produtor que vinificava seu próprio fruto. Marius tinha provado outros vinhos de outros produtores elaborados com as suas uvas e percebeu que algo estava “perdido” na tradução, ele sabia que possuía alguns dos melhores vinhedos da região e acreditada que as uvas lá cultivadas poderiam produzir vinhos de classe mundial e com excelente capacidade de envelhecimento. Seu neto, Michel Chapoutier, é, sem sombra de dúvidas, um dos maiores enólogos da França, eleito diversas vezes como "enólogo do ano" pela Revue du Vin de France. Ele deu uma nova dimensão aos vinhos da região, quando assumiu o comando da M. Chapoutier em 1990, atingindo a perfeição nas diversas denominações do norte e do sul. De opiniões controversas e dono de um virtuosismo moderno, Michel é adepto da viticultura biodinâmica e da agricultura orgânica. Seus vinhos impecáveis e elegantes, como Hermitage, Côte Rôtie, St. Joseph, Cornas e Châteaneuf são referências para a região. Michel Chapoutier costuma receber notas altíssimas da imprensa especializada, acumulando a inacreditável marca de trinta e uma notas 100 de Robert Parker. Nada menos do que setenta e três rótulos Chapoutier pontuaram com 95 pontos ou mais na revista Wine Spectator. Seu Côtes-du-Rhône Belleruche é considerado um dos melhores vinhos de toda a denominação, com uma excepcional relação entre qualidade e preço.