Baga

Baga

A Baga é a grande personagem dos vinhedos da Bairrada, no centro de Portugal – representa cerca de 90% do total de uvas tintas da região. Incompreendida durante décadas, essa cepa costumava gerar vinhos rústicos, com pouco álcool, alto grau de acidez e taninos duros. Um ou outro produtor caprichava no seu cultivo e, assim, chamava a atenção pelos vinhos tintos elegantes, com perfumes de frutas silvestres, ameixa preta, florais, café, ervas aromáticas e toques defumados, capazes de envelhecer lindamente na garrafa. Entre esses produtores, Luís Pato é o grande nome – conhecido como o revolucionário da Bairrada justamente por se dedicar a descobrir as manhas e encantos da uva Baga.

Verdade seja dita, a Baga dá canseira aos produtores. Com bagos pequenos, é uma cepa de maturação tardia e exige muito trabalho e atenção no campo. Vinhas com solos argilo-calcários e boa exposição solar são um dos segredos para que essa uva amadureça na perfeição, gerando vinhos com camadas de aromas, acidez equilibrada, boa estrutura de taninos e impressionante profundidade e complexidade. Por outro lado, em terrenos férteis que estimulam seu vigor, a Baga resulta em vinhos tintos decepcionantes: magros e desequilibrados.

A Bairrada é a terra de eleição da Baga, mas essa uva também se espalhou pela vizinha região do Dão e aparece aqui e ali em Lisboa e no Tejo.

 

Dica de especialista:

Prefira vinhos tintos de Baga acima de 13% de álcool – são os que prometem revelar o melhor lado desta clássica uva portuguesa.

A versatilidade da uva Baga: de tintos a espumantes e rosés

A uva Baga também é utilizada para compor os ótimos espumantes da Bairrada, considerada uma espécie de Champagne de Portugal pela alta qualidade que seus espumantes oferecem – são aromáticos, vibrantes e cremosos. E também há rosés de Baga, já que essa uva é capaz de garantir fruta e frescor na taça.

Quem vai gostar da Baga?

A Baga é uma uva controversa e fica o aviso: não é para qualquer paladar. É preciso aprender a gostar dela e a desvendar seus segredos. Os bons vinhos tintos da uva Baga são escolhas perfeitas para os amantes de tintos de Nebbiolo e Pinot Noir.

Baga à mesa: as melhores harmonizações

Acidez vibrante, taninos marcantes e corpo médio fazem da Baga um belo par para o tradicional (e imperdível!) leitão assado, mas as opções gastronômicas vão muito além: pratos de porco, pato, carnes vermelhas, massas com molhos ricos e até com frutos do mar, como lulas. Tintos de Baga também ficam uma perdição com queijos de cabra e feta.

Produtos que utilizam Baga