main product photo

Vinho Tinto Frescobaldi Nipozzano Riserva Chianti Rufina DOCG 2016


Sobre o Vinho

O Vinho Tinto Frescobaldi Nipozzano Riserva Chianti Rufina DOCG é o vinho ícone da Frescobaldi, elaborado no histórico Castello Nipozzano. Produzido com a uva Sangiovese, oriunda de vinhedos localizados na Denominação de Origem Controlada e Garantida (D.O.C.G.) de Chianti Rufina, dentro da região vitivinícola da Toscana, na Itália. De coloração rubi intensa, no nariz revela aromas de frutas vermelhas maduras,  notas florais, como de violeta, além de toques de especiarias. Um Vinho Tinto elegante e complexo, com um final longo e persistente. Esse é um Vinho Italiano de excelente qualidade, uma compra certeira!

Em estoque
R$364,00
Em até 3x de R$121,33 s/ juros
Consultar Valor do Frete

Produzido com a uva Sangiovese, oriunda de vinhedos localizados na Denominação de Origem Controlada e Garantida (D.O.C.G.) de Chianti Rufina, dentro da região vitivinícola da Toscana, na Itália. As uvas passam pelo processo de desengace. A fermentação ocorre em tanques de aço inox. O vinho envelhece em barris de carvalho francês durante um período de vinte e quatro meses, estagiando por mais um período na garrafa.

Um ótimo companheiro para carnes vermelhas, carnes de caça e queijos maduros.

O nome Frescobaldi representa uma venerável tradição de envolvimento, não só na elaboração de vinhos, mas também nas áreas de arte, da cultura e da história da Toscana, que remonta a mais de 700 anos. A história do vinho na família começa com Frescobaldi Berto que adquiriu para seus filhos, propriedades rurais, entre elas casas, moinhos, vinhas, pomares e fazendas. Nos séculos 15 e 16, a família florentina era uma fornecedora de vinhos que vendia para o Inglês Royal Court e muitos outros estabelecimentos de familia real em toda a Europa, incluindo a corte papal.Mas foi no século 19, que Marchese Vittorio degli Albizzi, herdando as propriedades na Toscana, veio da Borgonha para assumir o negócio. Com sua experiência, ele estava entre os primeiros na Itália a propor o cultivo da vinha e plantações especializadas monovarietais, mesmo em altitudes até então não utilizadas para vitivinicultura.