Entrevista com Diana Kelley da Vega Sicilia

Imagem post

Diana Kelley, da Vega Sicilia, esteve no Brasil, no mês de maio, para um evento da Importadora Mistral. Ela concedeu uma entrevista exclusiva para a DiVinho, falando da tradição da Vega Sicilia na produção de vinhos na Espanha, seus vinhedos na Hungria e os projetos colaborativos com outras vinícolas, confira:

Diana Kelley
Diana Kelley

Vega Sicilia é uma vinícola que tem uma história muito antiga, o que mudou com a aquisição pela família Alvarez em 1982?

Principalmente com a chegada da família Álvarez, nos últimos trinta anos, mudou-se um pouco a direção da bodega. Vega Sicilia já está presente em mais de cem países e é uma das vinícolas espanholas que tem mais presença no exterior.

Ademais, com os outros projetos que a família Álvarez começou na Espanha e no exterior criou-se o grupo Tempos Vega Sicilia. Com Pablo Álvarez a frente do grupo foram criados projetos paralelos, como Alión, em 1991, Pintia, com a primeira safra em 2001, Oremus, a bodega que temos na Hungria desde os anos noventa, e Macán, o projeto mais recente, com a primeira safra em 2001.

Pablo Álvarez
Pablo Álvarez

A filosofia da Vega Sicilia é buscar a excelência respeitando a harmonia com a natureza, como esses valores impactam na produção?

Vega Sicilia é uma bodega que nasceu em 1864 e para levar a produção ao patamar que temos hoje e continuar produzindo por tantos anos é fundamental termos um respeito pela natureza. Pois todos os vinhos produzidos pelo grupo são baseados na qualidade da uva.

E a qualidade da uva está diretamente relacionada ao solo e as condições ao redor para manter a produção. Somente é possível conseguir isto respeitando a natureza. Vega Sicilia utiliza práticas que não estão certificadas como orgânicas ou biodinâmicas, mas que sempre respeitam a natureza e focadas na sustentabilidade.

Dessa maneira as próximas gerações também poderão cultivar o solo. Em um exemplo concreto, replantamos os vinhedos com nossas próprias vinhas, permitindo tempo para o solo se recompor.

Vega Sicilia trabalha com tecnologias de ponta na produção com o mínimo de intervenção. Intervimos muito pouco na produção da uva e na fermentação para não alterar o vinho que teremos ao final.

Vega Sicilia

A Espanha apresenta uma grande tradição na produção de vinhos, como os terroirs de Ribera del Duero e Toro influenciam no desenvolvimento dos rótulos?

Nos casos tanto de Ribera del Duero quanto de Toro trabalhamos com a mesma uva, que é a Tempranillo. Apesar de ser a mesma uva ela dá vinhos totalmente distintos. Isso porque a região de Toro tem condições climáticas extremas e conta com pouca água, comparada com Ribera del Duero.

Em Toro conseguimos vinhos extremamente concentrados e de cor intensa. Não temos problemas com o teor alcoólico do vinho ou durante o processo de extração. Isso é natural da região, dando uvas muito concentradas e vinhos muito potentes. Tentamos domar o Toro, como costumamos dizer. Buscando manter a frescura nos vinhos.

Ribera del Duero é uma das regiões mais geograficamente complexas da península ibérica. Na propriedade da Vega Sicilia temos vários tipos de solos distintos, que podem produzir vinhos muito distintos. Com maior ou menor mineralidade. Vinhos com uvas que amadurecem mais rápido ou mais devagar.

Em Ribera del Duero é possível encontrar vinhos muito distintos, pois conta com terroirs muito diferentes. É uma região que muda muito de um ano para o outro. Podemos ter um ano bastante quente e generoso, assim com o podemos ter anos com granizo.

Por conta disso, de acordo com o ano, Ribera del Duero pode produzir vinhos com estilos muito diferentes. Anos mais frios dão vinhos mais frescos e herbais, enquanto em anos quentes temos vimos mais generosos em seu estilo.

Com certeza o terroir está muito presente nas duas regiões. E é possível perceber isso muito facilmente nos vinhos. No caso de Alión e Pintia são dois vinhos cem por centro Tempranillo, mas que são muito distintos e refletem sua região de origem.

A Vega Sicilia teve a ambição de produzir vinhos brancos, foi por esse motivo que foram adquiridos os vinhedos em Tokaj na Hungria?

A região de Tokaj é muito conhecida pelos seus vinhos de mesmo nome e é um vinhedo que a Vega Sicilia sempre vai manter, pois é uma região única no mundo para a produção desse tipo de vinho, pois conta com condições climáticas muito peculiares.

Quando a família Álvarez chegou a Tokaj tiveram uma visão para a região, que foi a produção de um vinho branco seco a partir da uva Furmint. Mandolás foi o primeiro vinho branco seco produzido na região. O terroir da região de Tokaj é similar ao que se encontra no Vale de Loire na França, com solos muito minerais. A uva Furmint é uma casta nobre, com alta mineralidade.

Quando a Vega Sicilia resolveu lançar um vinho branco optamos pela região de Tokaj, pois sabíamos que havia a possibilidade de produzir um grande vinho branco. A primeira safra foi no princípio dos anos 2000 e que pouco a pouco foi melhorando.

Graças a muitos estudos, tanto nos vinhedos, quanto na produção, foi possível produzir um vinho mais elegante, que representa a uva e a região. Mas, ao mesmo tempo, sempre um vinho que o consumidor final consegue entender.

Mandolás realmente é um dos projetos que Vega Sicilia tem o maior carinho.

Existe uma nova geração de jovens que estão descobrindo os prazeres dos vinhos, como é atender esse público?

Definitivamente, para Vega Sicilia o consumidor jovem é muito importante. É uma das razões porque hoje em dia participamos mais de eventos, como esse da Mistral. Tratamos de atrair esse público, pois os jovens eventualmente irão se converter em consumidores da Vega Sicilia.

Acreditamos que a forma de atrair os jovens é mostrando nossos vinhos. O mundo dos vinhos é muito bonito, pois ele atrai. E quando você é atraído, acaba buscando experiências únicas.

Vega Sicilia é uma mescla de tradição e de modernidade. Nossos vinhos refletem uma identidade própria, que é única. Os jovens que estão descobrindo os prazeres dos vinhos buscam por experiências únicas, que os vinhos da Vega Sicilia são capazes de atender.

Por muitos anos a Vega Sicilia foi uma bodega muito misteriosa, que não se abria muito ao público. Hoje em dia estamos mudando essa situação. Pois Vega Sicilia não vai viver de ser uma lenda.

Vega Sicilia Único é um rótulo emblemático da Espanha, qual o segredo?

O segredo é secreto! Mas a verdade é que acreditamos que o segredo é do lugar de onde vem. Hoje em dia são faz-se vinhos fantásticos em todas as partes do mundo, mas existem grandes terroirs que, por alguma razão, esses pedaços de solo produzem vinhos excepcionais.

O segredo do Vega Sicilia Único é realmente esse. Nos preocupamos em manter esse pedaço de terra em condições ótimas e que possa continuar produzindo por muitos anos. Na bodega buscamos intervir o mínimo possível.

Como nome já diz, o segredo do Único, advém desse pedaço de terra que é único. A qualidade da fruta é realmente excepcional, independente do ano. Em alguns anos produzimos menos, em outros mais, mas a qualidade da fruta se mantém.

São poucos lugares do mundo que tem essa capacidade. É possível ver isso muito claramente em regiões como de Borgonha na França. Onde a produção é muito pequena, mas os vinhos são emblemáticos, figurando entre os melhores do mundo.

É como uma árvore frutífera. Plantando em alguns lugares você tem como resultado frutas excepcionais, já plantando ao lado a árvore não dá frutos.

Vega Sicilia

Valbuena 5º é outro rótulo bastante popular, fale um pouco desse vinho.

Valbuena 5º é hoje o que acreditamos ser a melhor oferta da Vega Sicilia. Pois é um vinho emblemático, que sai do comum. Produzido a partir dos mesmos vinhedos do Único, na mesma bodega, com os mesmos padrões de qualidade.

Mas Valbuena 5º é um vinho que está pronto para tomar muito mais jovem, que já entrega uma experiência espetacular. Claro, é um vinho que pode ser guardado por vinte anos ou mais. Mas que já está pronto para tomar.

Com Valbuena 5º produzimos um vinho que envelhece por cincos anos, três anos na madeira e dois anos na bodega. Utilizamos diferentes tipos de madeiras, americanas e francesas. Utilizamos barricas de tamanho normal e também tonéis muito grandes.

O processo de vinificação do Valbuena 5º e do Único são muito similares, mas em Valbuena 5º optamos pelos cortes mais curtos, que vão dar um vinho para tomar quando ainda é jovem.

Nos últimos anos Valbuena 5º mudou, hoje é um vinho cem por cento Tempranillo. Um vinho extremamente complexo. É a melhor oferta que temos da Vega Sicilia em qualidade e preço.

Quais rótulos da Vega Sicilia você recomenda para os brasileiros?

O Brasil é um mercado que conhece muito bem nossos vinhos tradicionais. Como Alión e Pintia, por exemplo. Pintia é dos um dos rótulos mais populares, pois a região de Toro dá um vinho que se expressa muito rapidamente. Um vinho bem expressivo e com ótima estrutura.

Alión também é vinho bastante conhecido e interessante. Pois pessoas com paladares distintos encontram um ponto em comum em Alión. É um dos nossos vinhos mais vendidos hoje em dia, podíamos vender três vezes o que produzimos.

Sugiro a seguir provar os vinhos de Macán, que é um projeto que a Vega Sicilia tem em Rioja com a família Rothschild. É um terroir distinto, onde temos cem por cento de Tempranillo, que não é comum na região. Podemos dizer que é um Rioja com estilo da Vega Sicilia.

Macán Clásico é um rótulo que também está pronto para tomar quando ainda é jovem. Já o Macán principal é vinho que atende um público que procura por vinhos de guarda, podendo ser guardado por quinze, vinte anos, sem nenhum problema.

Como foi a união com a família Rothschild?

A família Rothschild e a família Álvarez se conhecem há muitos anos. A ideia de fazer um projeto juntos surgiu nos anos 2000, pois a família Rothschild tem outros projetos conjuntos em várias partes do mundo.

No início não seria na Espanha, chegamos a buscar outros lugares. Mas a Vega Sicilia se sentia mais confortável em produzir em um local onde já tinha um certo conhecimento da produção.

O projeto realmente surgiu dessa amizade entre as famílias. Em termos financeiros, Rothschild tem cinquenta por cento e Vega Sicilia cinquenta por cento. No momento, Vega Sicilia é encarregada da produção do vinho em cem por cento. Isso porque temos conhecimentos de Rioja, da Tempranillo e é o que Vega Sicilia sabe fazer melhor.

É um projeto com bastante êxito, todos os vinhos estão vendidos e a produção vai aumentando pouco a pouco.

 

Você encontra os melhores vinhos da Vega Sicilia na DiVinho! Surpreenda-se com nossa variedade e adquira os melhores rótulos pelo melhor preço!

0 comentários
Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *