main product photo

Vinho De Martino Viejas Tinajas Cinsault 2018

TA
94
GD
93

Sobre o Vinho
O Vinho De Martino Viejas Tinajas Cinsault faz parte do projeto Viejas Tinajas da vinícola De Martino, buscando revitalizar o Vale do Itata, região que recebeu as primeiras videiras do Chile! Elaborado com a uva Cinsault, oriunda de vinha velhas, com mais de trinta anos de idade, plantadas em pé franco em Guarilihüe. De coloração rubi intensa, no nariz revela aromas de frutas vermelhas maduras, como amarena, notas florais, além de um toque de casca de laranja. Um Vinho Tinto muito cativante. Em boca conta com corpo médio, taninos macios, boa acidez e um final persistente. Esse Vinho Chileno é considerado um verdadeiro patrimônio da viticultura do país, resgatando práticas vinícolas históricas, como a fermentação em ânforas de barro centenárias, além de ser produzido em quantidade limitadas!
Em estoque
R$205,00
Em até 3x de R$68,33 s/ juros
Consultar Valor do Frete
    Produzido 100% com a uva Cinsault, oriunda de vinha velhas, com mais de trinta anos de idade, plantadas em pé franco em Guarilihüe, na região vitivinícola da Vale do Itata, no Chile. As uvas são colhidas manualmente, passando pelo processo de desengace. É realizada maceração carbônica nos cachos inteiros. A fermentação alcoólica ocorre com leveduras nativas, em ânforas de barro centenárias, permanecendo em contato com as cascas por um período de vinte e cinco dias. Acontece fermentação malolática completa. O vinho envelhece em ânforas de barro centenárias, não sendo filtrado.
    Acompanha bem pratos requintados, como vitela assado com ervas e especiarias, atum grelhado na brasa, rosbife e queijos delicados.
    Fundada, em 1934, no Vale do Maipo, pelo imigrante italiano Pietro De Martino, a vinícola De Martino vem se dedicando, ao longo de décadas, a elaborar vinhos nas mais diversas regiões vitivinícolas do Chile, de norte a sul, leste a oeste. Seu portfólio é formado por vinhos tintos, brancos e rosés das denominações Maipo, Casablanca, Limarí, Cachapoal, Maule, Elqui e Choapa, além de exibir projetos especiais no Vale de Itata. A linha mestra da enologia da De Martino é respeitar a característica individual de cada terroir. Para isso, conta com 347 vinhedos, que são cultivados segundo os princípios da agricultura orgânica, sem o uso de substâncias químicas e sintéticas. A vinificação também é a mais natural possível, sempre com leveduras indígenas. Já o envelhecimento dos vinhos é realizado em cubas de aço inoxidável, de concreto ou em barricas usadas. Atualmente, a empresa é gerida pela quarta geração da família e conta com grandes nomes da enologia chilena: Marcelo Retamal e Eduardo Jordán, que lideram projetos arrojados.